Amarelo

Disponível também nas plataformas digitais:

TratoreDeezeriTunesSpotify

Adquira o álbum físico

Entre em contato para comprar:

R$25,00 - Amarelo

31 99959.3994

renatomotha@gmail.com

O álbum com 19 faixas foi lançado em 1998, marcando o início da parceria de Renato Motha com Patricia Lobato. Amarelo é um disco autoral, trazendo também releituras de Motha para clássicos da MPB, além das participações de Ivan Lins, Bob Tostes, Marku Ribas e Patricia Lobato.
Com projeto gráfico de Marcilio Godói e fotografia de Márcia Charnizon, o álbum foi gravado por Fernando Rodrigues e Perón Rarêz, no estúdio 108 em Belo Horizonte, mixado por Enrico de Paoli, no estúdio Impressão Digital no Rio de Janeiro, e masterizado também no Rio, no Magic Máster, por Ricardo Garcia, com arranjos, direção e produção do próprio Renato.
Músicos convidados: Markú Ribas, Juliana Serra, Cícero, Mauro Rodrigues, Nenén, Mário Castelo, Kiko Mitre, Ricardo Fiúza, Rogério Delayon, Julio Cury, Elias Barros, Eliseu Barros, Carlos Aleixo, Firmino Cavaza, Eros Frezik, Paulo Nehmy, Cid Ornelas, Bento Menezes, Clóvis Aguiar, Cláudio Faria, Marcelo Rocha, Juarez Moreira e Chico Amaral.
Cantoras convidadas: Babaya, Marina Machado, Regina Spósito.
Participações especiais: Bob Tostes, Ivan Lins e Patricia Lobato.
Ivan Lins:
Além de sua participação em Correntes (faixa 3), Ivan contribuiu para a escolha do repertório, sugerindo a inclusão de músicas conhecidas pelo público, para que Renato pudesse também ser apresentado como intérprete.
Mistura brasileira:
Uma das características mais marcantes desse CD, é o registro harmonioso de gêneros diversos encontrados na nossa MPB - ritmos como balada, samba, reggae, chôro, baião, jazz, rock, folia..., se integram de maneira natural.

Arranjos:
Vale destacar a instrumentação, que vai desde uma forte sessão rítmica gravada pelos percussionistas Markú Ribas e Neném, ao clássico quarteto de cordas.
Esse trabalho também traz a primeira incursão de Motha no universo dos instrumentos vocalizados. Com uma versão jazzística para Fotografia de Jobim, Renato faz com a voz a linha de baixo, o solo de trompete e um naipe de metais.


Destaque para Flor de mim:
Essa canção tocou especialmente o pianista, arranjador e compositor César Camargo Mariano, que quando a ouviu, disse ser Flor de mim a segunda música que mais o emocionou em sua vida.

Repertório:
Além de composições próprias e em parceria com Patricia Lobato e Valter Braga, Amarelo traz cinco releituras: Magamalabares (Carlinhos Brown), Mussulo (Markú Ribas), Vieste (Ivan Lins e Vitor Martins), Meu bem-querer (Djavan), Fotografia (Tom Jobim).
1) Amarelo (Renato Motha e Patricia Lobato)
2) Boto fé (Renato Motha)
3) Correntes (Renato Motha e Valter Braga)
4) Magamalabares (Carlinhos Brown)
5) Cafarnaum (Renato Motha e Patricia Lobato)
6) Mussulo (Marku Ribas)
7) Tan-Sen (Renato Motha e Patricia Lobato)
8) É tudo tão bom com você (Renato Motha)
9) Guardiã (Renato Motha e Valter Braga)
10) Vieste (Ivan Lins e Vitor Martins)
11) Sete véus (Renato Motha)
12) Gata Patty (Renato Motha)
13) Meu bem querer (Djavan)
14) Verde que te quero ver-te (Renato Motha e Patricia Lobato)
15) Mundo azul (Renato Motha e Patricia Lobato)
16) Daniel (Renato Motha)
17) Fotografia (Antônio Carlos Jobim)
18) Flor de mim (Renato Motha)
19) Minha casinha (vinheta - cantiga de domínio popular)

Renato Motha celebra ritmos em Amarelo - chansonier nato, Renato lança o CD Amarelo em parceria com sua mulher, Patricia Lobato.
Ailton Magioli (crítico musical) - Jornal O Tempo - BH - 01/10/1997
Amarelo - a boa confirmação de Renato Motha - o cantor, guitarrista e arranjador Renato Motha é um caso raro no cenário mineiro. As três funções aparecem em Renato para criar um artista completo, que ainda atua como compositor que faz ponte entre influências de clássicos como Tom Jobim e Edu Lobo e a escola mineira das harmonias elaboradas e melodias bem construídas.
Kiko Ferreira (crítico musical) - Jornal Estado de Minas - 10/03/1998
Chansonier nato, Motha canta cada vez melhor e é prova concreta da evolução da MPB em Minas.
Ailton Magioli (crítico musical) - Jornal O Tempo - BH - 11/03/1998
A luz musical de Renato Motha - "o sol brilha com luz amarela. Amarelo é a cor do centro. A luz amarela é o símbolo da civilização e da arte em seu apogeu, na mais plena harmonia". A frase, extraída do I Ching, explica o porquê do nome do mais novo CD do cantor, compositor, guitarrista e arranjador Renato Motha.
Anna Marina (jornalista) - Diário da Tarde - BH - 11/03/1998
O dono da voz - cantor surpreendente, o mineiro Renato Motha chega a seu segundo CD Amarelo, envolto em grande expectativa, uma decorrência de Brasileiro, o seu primeiro e bem solucionado álbum.
Pedrinho Alves Madeira (crítico musical) - Jornal Hoje em Dia - BH - 10/03/1998
É bom tomar nota - o CD Amarelo de Renato Motha e Patricia Lobato, com participação de Ivan Lins, está irretocável.
Jornal O Tempo - BH - Seção Curtas e Finas - 14/04/1998
Amarelo é um daqueles discos inesquecíveis, as músicas e os arranjos são tão bons, que fica difícil escolher algum para destacar. Conheça o mundo musical de Renato Motha, com certeza o prazer será todo seu!
Maurício Gouvêa (crítico musical) - International Magazine - RJ - dezembro / 1999