JAPÃO

Nossa história no Japão começou no ano de 2004, quando recebemos uma mensagem do produtor japonês Yoshihiro Narita, dizendo que havia ouvido nosso álbum Dois em Pessoa, recém lançado àquela época e chegado ao seu país por mãos de importadores. Ele elegeu Dois em Pessoa o melhor disco de música brasileira lançado naquele ano e nos falou de seu desejo de licenciar o álbum para sua distribuição no mercado japonês.

Assim foi feito, e desde então, estreitamos com ele laços profissionais e de amizade, e ao longo desses anos, lançamos através da NRT/Maritmo, o selo de Narita-san, 10 álbuns no Japão, além de fazermos lá 3 turnês inesquecíveis.

Na primeira, primavera de 2009, estivemos em Tóquio, Yamagata e Kamakura. Em Yamagata, ao norte do país, nos apresentamos no mais lindo cenário, tendo como fundo de palco, cerejeiras brancas em plena floração.

Em Kamakura, fizemos um concerto de mantras em meio a uma mágica atmosfera no templo budista Komyoji, gravado ao vivo e lançado no ano seguinte em CD e DVD (In Mantra), premiado pela Revista Latina, como o melhor CD de música brasileira do ano de 2010.

Na segunda turnê, em 2010, além das três cidades mencionadas, também estivemos em Fukuoka, no sul do Japão. Era outono, época em que a natureza no país apresenta-se numa verdadeira aquarela, de beleza igualmente rara!

Nossa terceira turnê ocorreu em maio de 2012, e foi mais uma vez recheada de momentos muito especiais.

Lançamos o nosso novo álbum de mantras, Sunni-e, participamos de gravações de grandes artistas japoneses, e do festival sense of Quiet, idealizado por Yoshihiro Narita, com o objetivo de através da música levar conforto aos japoneses, fragilizados após o acidente nuclear de Fukushima, em 2011.

Depois de um show com sessão dupla e casa cheia em Osaka, abrimos o sense of Quiet em Kamakura, mais uma vez no Templo de Komyoji, fechando em Tóquio o festival. Ao final recebemos a japonesa Ichiko Aoba e os argentinos Carlos Aguirre e Quique Sinesi, que também participaram do sense of "Quiet", para uma participação conosco no bis, e o público japonês, sempre tão receptivo e caloroso, foi ao delírio.

Enfim, foram dias muita alegria e boa música, tudo orquestrado de maneira impecável por Narita-san, que trabalha com toda a dedicação e coragem para sempre apresentar ao público, projetos ousados e sensíveis.

Sentimos no ar uma nova tendência, novas direções para a música, e o quanto todos nós precisamos de sense of Quiet em nossas vidas - como bem diz Yoshihiro, "música tranquila e expressiva para ajudar o mundo a ser mais bonito, pacífico e feliz".

Renato Motha, Yoshihiro Narita e Patricia Lobato
Renato Motha, Yoshihiro Narita e Patricia Lobato
Patricia Lobato e Renato Motha
Patricia Lobato e Renato Motha